Resenha: The Wedding Eve - Hozumi | Garota Indecisa

Resenha: The Wedding Eve - Hozumi


Intagram @tamitiburcio
Resenha de hoje vai ser um pouco diferente, apesar de amar e colecionar alguns eu quase nunca falo ou faço resenhas de mangas por por aqui, mas este vale a pena ser compartilhado com vocês.
Ano passado a Panini lançou  um no gênero Josei, como eu amo Shoujos e mangás e nunca tinha tido a oportunidade de ler um Josei antes, logo fui atrás do meu.











Josei (Wikipedia): Enquanto revistas(mangás) para meninas são chamadas de shōjo( AMO <3), para meninos são chamadas de shōnen, e para homens Seinen. O Josei é um amadurecimento do shōjo. São geralmente histórias da vida adulta com foco no cotidiano feminino, mostrados de forma mais realista, enquanto os mangás shōjo apresentam romances idealizados.
‘The Wedding Eve’ (Véspera de Casamento, ou Shiki no Zenjitsu, no original) da autora Hozumi foi lançado originalmente pela primeira vez em 2012 e possui um volume único que reúne 6 histórias distintas, também conhecidas como One-shots.


Vou falar um pouco de cada One-shots, bem resumidamente pois fazer resenha delas ficaria um pouco difícil sem soltar spoilers.

A Véspera do Casamento
História que dá nome ao mangá, foi um capítulo bem complexo e cheio de reflexão, não posso dizer que foi um dos melhores, mas é carregado de sentimentos e acredito que cumpre bem o papel.

Reencontro em Azusa
Neste capítulo vemos um pai, aparentemente ausente que vai visitar sua filha de 7 anos, quando ela está sozinha em casa. O mais triste e dramático que eu li, tudo que envolva crianças acaba mexendo mais com a cabeça da gente, mas aqui a autora faz isso de uma forma tão real e sentimental ao mesmo tempo, que só os dramas conseguem, além é claro de um desfecho surpreendente.

Irmãos Monocromáticos
Trama entre dois gêmeos irmãos que não se viam durante anos e se encontram em um bar, poderia ser um clichê mas não é.
Tudo ao estilo bem drama de bar, dois irmãos gêmeos resolvem beber e  relembrar o passado, trazer lembranças e memorias a tona de uma forma um tanto quanto bucólica, tudo ao estilo bem drama de bar mesmo.
Como sempre a autora caprichou no final, deixando os leitores bem tristes mas no bom sentido, afinal eu esperava um final menos melancólico.

O espantalho que sonha (parte 1 e 2)
Amei, pois são dois capítulos super envolventes, apesar de ter um drama, ele vai caminhando para um lado feliz.
Nele temos mais uma vez a relações entre dois irmãos, mas dessa vez, um homem retorna depois de 10 anos para o casamento de sua irmã.
Sendo assim os capítulos além de serem cheios de pensamentos, reflexões e clima que todo casamento tem voltamos ao passado pelos olhos dele.
Eu sou suspeita pois amo ver o lado masculino dos sentimentos e tudo mais, mas foram os meus favoritos.

O pequeno jardim de outubro
Este capítulo envolve uma estudante colegial, um escritor e um toque sobrenatural para dar uma tensão na leitura.
Achei meio confusa, por isso  a leitura merece um pouco mais de atenção para ser compreendida.

E então...
Para quem ama gatos vai amar este capítulo (não é o meu caso)
Uma leitura mais leve e tranquila depois de tanto drama, tensão, mortes e sentimentos carregados.

Enfim, o manga reúne tudo em um só, apesar do nome ele não tem quase nada sobre casamentos, ele se foca mais nos sentimentos que nos envolvem durante um casamento, é como se abrisse um leque com todos os sentimentos a partir do casamento.
Tem muitas relações familiares como filhos que retornam depois de anos, relações conturbadas, laços que foram cortados, reencontros, morte, a dor de uma perda, saudade e muito amor.
Ele foge muito do clichê de casamentos, do casal central, dos personagens secundários engraçado ou depressivos, do desfecho de final feliz.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá obrigada pela visita, acho DIGNO você aproveitar e comentar que tal? :D
Beijos.